sábado, 1 de dezembro de 2018

RECORDANDO COM SAUDADE



Há sessenta e seis anos, o dia acordou chuvoso, mas rapidamente o sol chegou transformando-o num dos dias mais felizes da minha vida.

Encontrámo-nos, querida Teresinha e não mais deixámos de estar juntos.

Durante um ano através de correspondência diária e, depois durante cinquenta e seis anos de vida em comum em que tudo me deste.

Foram dezenas de anos, alguns bens difíceis, mas que o teu apoio e espírito de sacrifício ajudaram a suplantar com todo o amor que sempre me dedicaste.

A ti fiquei a dever a felicidade dos filhos que me deste e tudo o que fiz foi porque sempre me deste todo o teu apoio e confiança.

Há dez anos deixaste-me e com grande desgosto vi-te partir para aquela viagem de que não se volta e que sempre desejei fazer primeiro.

Não sei o que seria de mim se não fosse o amor e apoio de uma filha que seguiu bem o teu exemplo e tudo tem feito para tornar estes meus últimos anos mais fáceis.

Só uma coisa ela não consegue eliminar: esta dor e saudade de não te ter junto a mim.

Mas, em pensamento, estás sempre presente, meu querido amor.

Sem comentários:

Publicar um comentário